O Amor é um vício?

Amigas
Vi essa reportagem na Revista Marie Claire e resolvi mostrar pra vocês, eu não concordo com a relação em que os estudiosos fazem dizendo que o Amor tem o mesmo efeito que as drogas. Abaixo a reportagem e quero saber a opinião de vocês.
Estudo comprova que o amor tem o mesmo efeito das drogas no cérebro.
Se você já passou pela experiência de se sentir viciada em alguém ou em alguma relação amorosa, saiba que isso é normal. O amor, segundo comprova estudos científicos, tem o mesmo efeito das drogas em nosso cérebro. A paixão, assim como as substâncias nocivas, ativa nosso nosso centro neurológico de prazer, responsável pelo sistema de motivação e recompensa.
Funciona assim: seu cérebro escolhe determinada pessoa e, a partir daí, você automaticamente terá motivação para fazer tudo o que for possível para 'buscar' esse alguém. Quando dá-se o encontro, vem a recompensa, a sensação de prazer. Esses encontros podem ser tanto físicos quanto por meio de fotos em redes sociais, por exemplo - quem nunca ficou rastreando a vida do ex na internet para tentar descobrir algo ou só para matar (ainda que inconscientemente) a saudade?

As sensações do amor são as mesmas das drogras: "Você pode se sentir feliz ou ansioso", diz Lucy Brown, neurocientista da Albert Einstein College of Medicine, em Nova York, autora de um recém-publicado estudo sobre o assunto. O psicólogo Arthur Aron, da State University of New York, que também assina a publicação, completa: "É fato que o amor ativa a mesma área do cérebro responsável pelo vício em drogas".

O estudo analisou ultrassonografias do cérebro de 10 mulheres e sete homens que se diziam profundamente apaixonados, em relações que duraram entre um mês e dois anos. Quando diante da imagem de seus parceiros e parceiras, a área ativada no cérebro era a mesma que a das drogas. Quando frente a fotografias de pessoas semelhantes, nada acontecia.
Você já passou por uma experiência assim, de se sentir viciada em amor?
Fonte: Marie Claire
Amigas, na minha humilde opinião, é que o Amor nos tras muitas sensações... ansiedade, felicidade e até tristeza. Mas, o Amor quando correspondido é a melhor coisa que Deus criou. E deve vir sempre acompanhado de respeito, carinho, dedicação... se não tem essas caracteristicas ai já não é amor. Pra mim, o Amor, não deve jamais ser comparado com DROGA, pois a mesma destói vidas, enquanto que, o Amor gera vida, beleza, harmonia, nos traz felicidades. Mesmo assim, o conselho que dou, é que no lugar de se envolver com drogas, ame, ame muito. E vocês quero saber o que acham desse assunto.

Comentários

Khenberly disse…
eu amooooooo
e sou viciada
nesse amor a 11 anos
aaiiaia
bezosssssssssssssssssss
Oii Vall, achei interessante este post. Eu penso que amor não tem nada de ansiedade e esses outros sentimentos que nos deixam fora dos eixos rsrs. Pelo menos na minha pouca experiência de vida isso essas descrições são paixão. É a paixão que nos deixa ansiosos, nervosos, com aquela sensação louca, borboletas no estômago, não sei explicar rsrs. Mas todas as vezes que senti isso não era amor, mas paixão, e a paixão acaba, pois se transforma. E se não se transformar nos sentimentos que vc colocou no fim do post "carinho, dedicação e respeito" aí não se transformou em amor. O amor é um sentimento tranquilo, vc sabe o que está sentindo, não é como a paixão com um turbilhão de emoções e sensações.

Bom posso estar errada, posso sentir as coisas de maneira errada, mas penso assim a cerca do amor. E conheço pessoas viciadas sim, mas naquela sensação da paixão que falei acima. Algumas pessoas simplesmente não conseguem ter um relacionamento longo, pois a paixão como eu disse acaba e a pessoa sente necessidade de continuar sentindo todas aquelas sensações, emoções e sentimentos que a paixão proporciona... por isso posso dizer que conheço pessoas viciadas nesse sentimento. Mas não amor. amor não tem nada haver com isso rsrs.

Beijooooos desculpe escrever tanto rs

Postagens mais visitadas deste blog

Êxtase Absoluto... ejaculação feminina!

Depilação Artística Íntima

10 Principais Benefícios do Vinho e Como Escolher o Vinho Perfeito?